21/08/2021

Como superar o luto e lidar com a perda?

Não há maneira certa ou errada de lamentar, e talvez a dor poderá ser eterna, mas vamos considerar possíveis formas de lidar com o processo do luto?

Psicóloga Fernanda Rondon

O que é tristeza?

O processo do luto varia de pessoa para pessoa, mas pode-se afirmar que é uma resposta natural à perda. É o sofrimento emocional que você sente quando algo ou alguém que você ama falece. Dependendo do nível de relacionamento, a dor da perda pode ser esmagadora. Você pode experimentar todos os tipos de emoções difíceis, inesperadas, de choque, de raiva, de descrença, culpa e tristeza profunda. A dor do luto pode atingir sua saúde física também, prejudicando o sono, alimentação e raciocínio.

O luto, para além de uma morte de um ente querido, pode surgir de diversas outras formas, e acredito ser importante mencionar outras possibilidades das quais nem sempre estamos atentos no processo da nossa vida. As outras perdas que, não são tão intensas quanto o falecimento de um amado, mas que também machucam, são:

  • Divórcio ou término de algum tipo de relacionamento (amizade, familiar, romântico, etc)
  • Perda de saúde
  • Perda um emprego
  • Instabilidade financeira
  • Um aborto espontâneo
  • Aposentadoria
  • Falecimento de um animal de estimação
  • A doença grave de uma pessoa próxima
  • Perda de segurança após um trauma
  • Venda da casa da família

Após estes exemplos dados acima, constatamos que mesmo perdas sutis na vida podem desencadear uma sensação de tristeza, por exemplo: você pode sofrer depois de terminar a faculdade, mudar de profissão ou sair da casa dos pais. Qualquer que seja a sua perda, isso é pessoal, portanto, não se sinta envergonhado.

O processo de luto é individual

Por que é impossível colocar pessoas dentro de caixas formatadas? Porque somos seres de experiências diferentes. O que eu vivi, certamente você não viveu; mesmo que estejamos dentro de um mesmo lugar, sua perspectiva de olhar perante a vida será diferente da minha, e assim por diante.

A partir disso, digo: o processo de luto é individual. Mesmo que a perda tenha sido de uma família em comum, as reações serão diversas. Não há melhor maneira de reagir a um luto. O modo como você sofre depende de muitos fatores, incluindo sua personalidade e estilo de enfrentamento, sua experiência de vida, sua fé e o quão significativa a perda foi para você.

Em alguns lugares você verá, por vezes, que para o luto existe um tempo. Na verdade, um luto pode durar uma vida toda, dependendo do laço da relação. O estado de espírito para este processo é gradual, mas ainda assim, poderá vir a ser uma ferida marcada na pele enquanto houver vida de quem ficou. Algumas pessoas podem começar a se sentir melhor em semanas ou meses. Para outros, o processo de luto é medido em anos. Qualquer que seja sua experiência de luto, é importante ter paciência consigo mesmo e permitir que o processo se desdobre naturalmente.

luto
Luto

Verdades e Mentiras sobre o Luto

Mentira: A dor sumirá se você a ignorar.

Verdade: Percorrer este caminho irá prejudicar a sua vida a longo prazo. Para lidar com o luto, é importante vivenciar a dor.

Mentira: é importante "ser forte" diante da perda.

Verdade: por que se acredita ainda que chorar é ser fraco? Veja, sentir-se triste, assustado ou solitário é uma reação normal à perda. Você não precisa "proteger" sua família ou amigos colocando uma máscara de coragem. Mostrar seus verdadeiros sentimentos pode ajudá-los e a você também.

Mentira: se você não chora, significa que não se importa.

Verdade: existem pessoas que embora não chorem, sentem a dor tão profundamente quanto aquele que chorou. Chorar é uma resposta normal à tristeza, mas não é o único.

Mentira: O luto tem validade.

Verdade: Não há prazo específico para o luto.

Mentira: Seguir em frente significa esquecer sua perda.

Verdade: seguir em frente significa que você aceitou sua perda, mas isso não é o mesmo que esquecer. Você pode seguir em frente com sua vida e manter a memória de alguém ou algo que perdeu como parte importante de você.

Como conviver com o processo do luto?

Não há como deletarmos o sofrimento, mas algumas atitudes e formas de pensar podem ser considerada, são elas:

  • Buscar por terapia
  • Reconhecimento da dor que está sentindo
  • Aceitar que o sofrimento pode levar você a diversas emoções inesperadas.
  • A sua dor é única, e nem sempre os outros irão entender o que você está sentindo.
  • Procure deixar as pessoas de confiança por perto
  • Cuide do seu estado emocional, mas não esqueça do físico.
  • Reconheça a diferença entre os momentos de tristeza e a depressão, elas são diferentes.

5 estágios de luto

Elisabeth foi pioneira no tratamento de pacientes em estado terminal. Psiquiatra, nasceu em 1926 e veio a falecer em 2004. Sua obra mais conhecida, Sobre a Morte e o Morrer, publicada em 1969 proporcionou a divulgação de seu trabalho com cerca de 200 histórias de vidas de pacientes diagnosticados com doenças terminais ao longo da sua carreira. Ela construiu os estágios a partir destas entrevistas feitas, com a publicação do livro em 1969.

Luto
Luto

Negação: "Isso é mentira, isso não está acontecendo comigo."

Raiva: “Você foi o responsável pela morte! Você é o culpado"

Barganha: "Faça isso não acontecer, e em troca eu ____."

Depressão: "Estou triste demais para fazer qualquer coisa."

Aceitação: "Estou em paz com o que aconteceu, eu aceitei".

Se você sentir alguma dessas emoções após uma perda, pode ser útil saber que sua reação é natural. No entanto, nem todo mundo sofre todos esses estágios. Algumas pessoas lidam com suas dores sem passarem por todas elas. E se você passa ou já passou por esses estágios de luto, saiba que não é de uma forma linear que estes estágios ocorrem.

Kübler-Ross nunca pretendeu que essas etapas fossem uma estrutura rígida que se aplica a todos que choram. Em seu último livro antes de sua morte em 2004, ela disse sobre os cinco estágios do luto: “Eles nunca foram feitos para ajudar a juntar emoções desarrumadas em pacotes organizados. São respostas à perda que muitas pessoas têm, mas não há uma resposta típica à perda, pois não há perda típica. Nosso luto é tão individual quanto nossas vidas. ”

O sofrimento não é estável, pode se tornar uma montanha-russa. Ao invés de uma série de etapas, também podemos pensar no processo de luto como uma montanha-russa, com muitas emoções diferentes e inesperadas. Como muitas montanhas-russas, o percurso tende a ser mais difícil no início, os pontos baixos podem ser mais profundos e mais longos. Os períodos difíceis devem se tornar menos intensos e mais curtos à medida que o tempo passa, mas leva tempo para superar uma perda. Mesmo anos após uma perda, especialmente em eventos especiais, como um casamento em família ou o nascimento de um filho, ainda podemos sentir um forte sentimento de tristeza.

Sintomas emocionais de luto

Choque e descrença: logo após uma perda, pode ser difícil aceitar o que aconteceu. Você pode se sentir dormente, ter problemas para acreditar que a perda realmente aconteceu ou até negar a verdade. S

Tristeza: a tristeza profunda é provavelmente o sintoma de sofrimento mais universalmente experimentado. Você pode ter sentimentos de vazio, desespero, desejo ou solidão profunda.

Culpa: você pode se arrepender ou se sentir culpado por coisas que fez ou não disse ou fez. Após a morte, você pode até se sentir culpado por não fazer algo para impedir a morte, mesmo que não houvesse mais nada que pudesse fazer.

Raiva: mesmo que a perda não tenha sido culpa de ninguém, você pode sentir raiva e ressentimento. Se você perdeu um ente querido, pode ficar com raiva de si mesmo, de Deus, dos médicos ou mesmo da pessoa que morreu por ter abandonado você.

Medo: ma perda significativa pode desencadear uma série de preocupações e medos. Você pode se sentir ansioso, desamparado ou inseguro. Você pode até ter ataques de pânico. A morte de um ente querido pode desencadear medos sobre sua própria mortalidade, de encarar a vida sem essa pessoa ou as responsabilidades que você agora enfrenta sozinho.

Sintomas físicos de luto

Muitas vezes pensamos no luto como um processo estritamente emocional, mas o luto geralmente envolve o físico, incluindo: fadiga, náusea, Imunidade baixa perda ou ganho de peso, dores e insônia.

Procure apoio para luto e perda

No momento da dor, a tendência é que a pessoa se isole, querendo se voltar para a sua concha. Mas ter o apoio pessoal de outras pessoas é vital. Caso você não se sinta confortável em externar seus sentimentos para os mais próximos, busque por grupos de apoio ou um psicólogo. Partilhar o luto não significará que ele irá embora, mas saber que existe o apoio de pessoas de confiança é uma boa oportunidade para não se isolar.

Não são todos que possuem a habilidade de consolar pessoas enlutadas, vivemos um momento de que o luto é um tabu, portanto, é assustador para muitos, especialmente se elas mesmas não sofreram uma perda semelhante. Eles podem se sentir inseguros sobre como confortá-lo e acabam dizendo ou fazendo coisas erradas.

Participe de um grupo de suporte. O luto pode parecer muito solitário, mesmo quando você tem entes queridos por perto. Compartilhar sua tristeza com outras pessoas que sofreram perdas semelhantes pode ajudar.

Converse com um terapeuta. Se sua dor parecer demais, procure um profissional de saúde mental com experiência em luto. Um terapeuta experiente pode ajudá-lo a lidar com emoções intensas e superar obstáculos ao seu luto.

Permita-se ser cuidado, e cuide-se!

  • Quando você está de luto, é mais importante do que nunca cuidar de si mesmo. O estresse de uma grande perda pode esgotar rapidamente suas reservas de energia e emocionais. Cuidar de suas necessidades físicas e emocionais o ajudará a superar esse momento difícil.
  • Acolha seus sentimentos. Você pode tentar suprimir sua dor, mas não pode evitá-la para sempre. O luto não resolvido também pode levar a complicações como depressão, ansiedade, abuso de substâncias e problemas de saúde.
  • Expresse seus sentimentos de maneira tangível ou criativa. Escreva sobre sua perda em um diário. Se você perdeu um ente querido, escreva uma carta dizendo o que você nunca disse; faça um álbum de recortes ou fotos comemorando a vida da pessoa; ou se envolver em uma causa ou organização que era importante para o seu ente querido.
  • Tente manter seus hobbies e interesses. Há conforto na rotina e voltar às atividades que lhe trazem alegria e o conecta mais com os outros pode ajudá-lo a aceitar sua perda e ajudar o processo de luto.
  • Não deixe ninguém lhe dizer como se sentir. Sua tristeza é sua, e ninguém mais pode dizer a você quando é hora de "seguir em frente" ou "superar isso".
  • Planeje com antecedência os gatilhos do luto. Aniversários, feriados e marcos podem despertar memórias e sentimentos. Esteja preparado para um golpe emocional e saiba que é normal. Se você estiver compartilhando um evento de férias ou ciclo de vida com outros parentes, converse com eles com antecedência sobre suas expectativas e chegue a um acordo sobre estratégias para homenagear a pessoa que você ama.

Quando o sofrimento não desaparece

À medida que o tempo passa após uma perda significativa, como a morte de um ente querido, é normal que sentimentos de tristeza, dormência ou raiva diminuam gradualmente. Essas e outras emoções difíceis tornam-se menos intensas quando você começa a aceitar a perda e a seguir em frente com sua vida. No entanto, se você não se sentir melhor com o tempo ou se sua dor estiver piorando, pode ser um sinal de que sua dor se transformou em algo mais sério, como o caso de uma depressão maior.

A diferença entre tristeza e depressão

A distinção entre luto e depressão clínica nem sempre é fácil, pois eles compartilham muitos sintomas, mas existem maneiras de dizer a diferença. Lembre-se, a dor pode ser uma montanha-russa. Envolve uma grande variedade de emoções e uma mistura de dias bons e ruins. Mesmo quando você está no meio do processo de luto, ainda terá momentos de prazer ou felicidade. Com a depressão, por outro lado, os sentimentos de vazio e desespero são constantes.

6 possíveis sintomas que sugerem a depressão:

  • Intenso sentimento de culpa
  • Pensamentos de suicídio
  • Sentimentos de desesperança ou inutilidade
  • Fala e movimentos corporais lentos
  • Incapacidade de funcionar em casa, no trabalho e / ou na escola
  • Ver ou ouvir coisas que não estão lá

Os antidepressivos podem ajudar no luto?

Como regra geral, o luto normal não garante o uso de antidepressivos. Embora a medicação possa aliviar alguns dos sintomas do luto, ela não pode tratar a causa, que é a própria perda. Além disso, entorpecendo a dor que deve ser acolhida, os antidepressivos atrasam o processo de luto.

Se você tiver sintomas de depressão clínica, fale com um profissional de saúde mental imediatamente.

Entre em contato com um terapeuta profissional se você:

  • Parece que a vida não vale a pena ser vivida
  • Gostaria que você tivesse morrido com sua amada
  • Culpe-se pela perda ou por não ter impedido
  • Sinta-se entorpecido e desconectado dos outros por mais de algumas semanas
  • Estão tendo dificuldade em confiar nos outros desde a sua perda
  • Não conseguem realizar suas atividades diárias normais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Terapia Online

Minha prática envolve o acolhimento, cuidado, respeito, além da comunicação ativa tornando a sessão dinâmica e permitindo, assim, um espaço para o cliente falar sobre seus projetos de vida, sua busca pelo autoconhecimento e dificuldades encontradas no percurso.
AGENDAR SESSÃO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram